A próxima parada é…

Quando a gente inicia a pesquisa, temos a certeza de que o cronograma inicial do projeto será seguido exatamente como apresentado, afinal tudo foi previamente planejado. O problema é que durante o percurso traçado, nos deparamos com outras rotas alternativas ou até mesmo com ruas interditadas, que nos obrigam a alterar o percurso inicial.

Na última postagem, relatei que estava aguardando a liberação do Judiciário para ter acesso às gravações das audiências para iniciar as análises, e somente após ajustar o meu projeto com a LGPD e apresentar ao setor institucional da Justiça a forma como iria tratar os dados, obtive o pedido deferido. UFA, menos uma etapa. 🙂

Agora, só faltava a aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) que também solicitou alinhamento em um parecer parcial, e recentemente após as retificações atendidas, recebi o deferimento para meu alívio e prosseguimento para as novas etapas. 

Nessa trilha da pesquisa enfrentei temporal, não consegui visualizar com nitidez o que estava à frente devido os vidros estarem embaçados, troquei pneu com o carro andando e pensei em desistir do destino. Sim, isso acontece com muitos pesquisadores! Hoje retorno ao Blog para atualizar vocês de que tudo isso é apenas o início, porque o destino final, ainda está a quilômetros de distância. Se esses percalços são normais ou devem ser naturalizados pelos pesquisadores, eu não sei, mas prometo que volto na próxima parada, para compartilhar  novas paisagens do meu percurso. Até mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

pt_BRPT
Portal da Ciência Aberta